Rui Vieira de Castro elogia a capacidade de adaptação da AAUM às adversidades causadas pela pandemia.

O 44º aniversário da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) decorreu no passado domingo, dia 19 de dezembro, no Largo do Paço. Durante a cerimónia, foi destacado o projeto da nova sede “há muito tempo ambicionado”. A sede vai ter lugar no Campus de Gualtar.

Rui Oliveira, de saída do cargo de presidente, interpreta a nova casa da AAUM como “um sinal claro de envolvimento com a comunidade”. O líder da AAUM comparou, em declarações à RUM, o seu percurso a uma viagem marítima, salientando que, para se poder responder aos desafios do futuro, é necessário “atravessar marés, ir mais longe e largar a costa”. Rui Oliveira destacou ainda os tempos difíceis de confinamento, realçando a importância do “regresso a alguma normalidade” que já se verificou durante este ano.

A associação foi alvo de elogios por parte do reitor da Universidade do Minho (UMinho), Rui Vieira de Castro. Rui Oliveira afirmou também, em declarações à RUM, que a “universidade deve estar satisfeita com o trabalho que a associação tem vindo a fazer e pela contribuição no reforço do nome da academia a nível nacional e internacional”.

Na cerimónia, o ex-presidente do Conselho Geral da UMinho, Luís Valente de Oliveira, recebeu o título de sócio honorário da associação académica. A sua sucessora, Joana Marques Vidal, elogiou a valorização dada pela AAUM ao Conselho Geral. “É essencial os estudantes manterem a participação nos órgãos de governação da universidade”, reforçou à RUM.