É esperado, no próximo ano, ter os centros de formação para professores aptos a alargarem as competências a todos os profissionais da educação.

Um projeto-piloto de formação socioemocional para professores vai arrancar ainda este ano letivo, avança o Jornal de Notícias. A garantia foi dada por Pedro Cunha, diretor do programa Gulbenkian Conhecimento, que organizou o curso com o apoio do Ministério da Educação.

Os dois módulos do curso estão prontos e encontram-se a aguardar que seja ultimado o processo de certificação por parte da Universidade do Minho. Após esta etapa estar concluída, vai arrancar o projeto-piloto com a duração de três meses. O projeto envolverá 200 voluntários, repartidos por 10 turmas de norte a sul do país.

No primeiro módulo, os docentes vão receber ferramentas para “reconhecer, regular e comunicar as suas emoções” bem como compreender “o impacto que isso tem na forma como desenvolvem a sua atividade profissional”. O segundo módulo consiste no desenvolvimento destas competências socioemocionais junto dos alunos.