Quatro Metades foi lançado a 5 de janeiro de 2022. O filme italiano, escrito por Martino Coli e trazido à vida por Aléssio Maria Federici, conduz os espectadores por entre um puzzle de amor. Quatro amigos, muitas histórias, a procura de uma resposta – haverá almas gémeas?

A produção Quatro Metades inicia-se sob a paisagem inigualável de Itália. Sem tempo a perder, dá-nos a conhecer algumas das personagens que farão parte do enredo, numa simples troca de chamadas e gravações de voz de telefonemas perdidos. O resumo da obra antecipa o que, mais cedo ou mais tarde, acabamos por ter acesso. Nesta comédia romântica italiana, “que redefine o conceito de almas gémeas, enredos paralelos seguem quatro amigos solteiros que formam casais com diferentes combinações de pares”.

Foram apenas precisos cerca de dois minutos para que o conceito de almas gémeas começasse a ser discutido. À companhia de dois copos de vinho branco e cheiro de pão acabado de torrar, Francesco e Luca aparentam não estar na mesma página. Francesco acredita que, algures no mundo, há apenas uma pessoa que nos completa. Para argumentar o seu ponto de vista, recorre, inclusivamente, à obra de Platão, O Banquete.

O mito das almas gémeas ou, como refere Francesco, o mito dos hermafroditas fala-nos que, no passado, os “homens eram perfeitos”, apesar de distantes da forma física como hoje a conhecemos. O seu aspeto tornava-os mais fortes do que os próprios Deuses e isso não podia acontecer. A solução encontrada para tal ultraje foi cortá-los a meio. Hoje, segundo reza a lenda, as duas metades vagueiam pela Terra em busca da sua metade.

Para além disso, Francesco aproveita-se do relacionamento de Luca e Sara para demonstrar o seu ponto de vista. Estes já estavam juntos há cerca de 20 anos, se isso não era amor verdadeiro, a personagem não sabia o que seria. No entanto, rapidamente, Luca refuta. Para ele a ideia de que há apenas uma pessoa no mundo capaz de nos completar é ridícula, até porque acredita que o amor por alguém é dependente de um conjunto imenso de fatores, nomeadamente as nossas origens e os rumos que a nossa vida acaba por tomar.

Da apresentação de argumentos, soam as palavras que anunciam o possível término daquilo que já era certo. Admitindo o paradoxo, Francesco afirma “vocês estão juntos há tanto tempo que tomam a vossa relação como garantida”. A afirmação é levada em tom de brincadeira. No entanto, proporcionou um momento de partilha, uma história que garante eliminar todas as dúvidas sobre a existência ou não de almas gémeas.

A música de fundo muda de tom, intensificando-se, e começa o relato… Sara e Luca tinham acabado de se casar e decidiram fazer uma almoçarada com quatro amigos, dois homens e duas mulheres. Os convidados masculinos, Dario e Matteo, chegaram mais cedo à casa do casal e as introduções começaram a ser feitas, sem que as restantes convidadas chegassem.

Giulia, uma matemática que trabalha com modelos financeiros, uma mulher segura de si e que, por vezes, pode passar por arrogante. Chiara, uma anestesista, uma rapariga comum, “doce e carinhosa, um raio de sol”. Partindo das descrições, começaram as suposições sobre qual mulher seria a mais indicada para cada um dos homens – “o Matteo é o tipo amoroso e sensível com óculos no bolso da camisa, ele fica com a querida”, “damos a mais agressiva ao advogado. Ele consegue aguentá-la”.

Inicialmente, Luca recusou a acusação, afirmando que o casal não tinha qualquer interesse em se fazer passar por casamenteiros de amigos. No entanto, rapidamente, confessou serem essas as verdadeiras intenções. Desta vez na companhia de cervejas e pizzas, o plano aparentou avançar com tranquilidade.

Sem nunca ignorar a existência das novas tecnologias na vida quotidiana e, consequentemente, o possível impacto que podem ter em relacionamentos amorosos, a história inserida em Quatro Metades relata a forma como começou o romance entre Dario e Giulia, Matteo e Chiara. Amizade aceite nas redes sociais, likes e mensagens trocadas, a súbita mudança na forma de se falar. Uma simples troca da primeira pessoa do singular para a primeira pessoa do plural. Uma troca de números… Ao mesmo tempo, a produção brinca com as regras instituídas na arte da sedução atual, como por exemplo o esperar de pelo menos 24 horas para ligar a alguém que se tem interesse.

Algumas das regras foram cumpridas e outras deixadas de parte. A postura de vida dos possíveis casais era deveras distinta, mas a verdade é que as intenções da almoçarada foram alcançadas, pelo menos à primeira vista. Será este mais um dos casos em que as aparências iludem? Tendo em conta o resumo de Quatro Metades, não vale a pena estar aqui com meias palavras. Em paralelo com o desenvolvimento dos relacionamentos entre Dario e Giulia, Matteo e Chiara, começaram a formar-se, de facto, interesses “com diferentes combinações de pares”.

A conclusão, para aqueles que a consigam entender sem ver os meandros envoltos na restante história dos casais inusitados que nos são apresentados, é nos dada a conhecer por Luca – “se eu for metade de uma maçã… Vermelha e redonda, certo? Não vou procurar uma maçã verde e oval, mas, se encontrar outra maçã, vermelha e redonda como eu, mesmo que esteja pisada e não tenha o mesmo tom de vermelho, eu vou tentar. Talvez, com o tempo, eu possa mudar o meu tom de vermelho e ela tentar mudar o seu. É cansativo e nunca é perfeito, mas funciona”.

Quatro Metades foi filmado, maioritariamente, em Itália, mais concretamente em Roma. Como é já conhecido, os espaços italianos fazem-se acompanhar de uma atmosfera romântica que, no caso concreto, potenciaram o desenrolar da história. No entanto, Portugal entrou também em cena para dar umas pisadas nesse sentido. A longa-metragem conta, ainda, com atuações de excelência de Giuseppe Maggio, Matteo Martari, Matilde Gioli, Ilenia Pastorelli, Flávio Furno e Marta Gastini.