A adesão é voluntária e gratuita.

A Câmara Municipal de Braga tem em marcha um Pacto de Mobilidade Empresarial (PMEB) que visa contribuir para uma mobilidade mais sustentável na cidade. De acordo com a brochura do pacto, 65% de emissões de gases com efeito estufa têm origem na mobilidade urbana. Para atingir a neutralidade carbónica, o município, em parceria com o BCSD (Business Council for Sustainable Development), desafia as empresas a comprometerem-se, no mínimo, com duas das 28 ações que constam no pacto.

As ações do PMEB têm por base quatro pilares centrados na sustentabilidade. O pacto de mobilidade visa promover a descarbonização e desmaterialização da frota interna e das operações das empresas, promover mobilidade diversa e fomentar a mobilidade partilhada, viabilizar o uso de meios de transporte coletivos e multimodais, diminuir o número de viagens e facilitar a mobilidade inclusiva, garantindo a acessibilidade para todos.

Em declarações à RUM, Hélder Costa, secretário executivo para o desenvolvimento sustentável da câmara, explica que a parceria pode vir a permitir “apoios a funcionários, remodelação das instalações e parcerias com o município”. Segundo o responsável, o sucesso do pacto depende “da adesão das empresas”. “Quantas mais aderirem, melhor”, destaca.

Segundo Hélder Costa, a adesão à iniciativa tem sido “bastante forte”. “Algumas empresas já identificaram parte das ações nos seus planos e tentamos que não seja repetitivo, ou seja, que olhem para outras ações”, explica.

Hélder Costa apela às empresas da região do Minho que contactem a câmara municipal de Braga “para se perceber como é que podem ser ajudadas e elas próprias ajudar a ter uma cidade mais descarbonizada”. As entidades interessadas em aderir ao pacto têm até dia 15 abril, através do e-mail ines.alves@bcsdportugal.org.