Minhotos não venciam águias na Pedreira desde a época 2014/2015.

Esta sexta-feira, o SC Braga e o SL Benfica encontraram-se para disputar a 28ª jornada da Liga Bwin. Os minhotos viram surgir o empate em menos de cinco minutos, mas conseguiram a reviravolta no marcador e venceram por 3-2.

No decorrer dos primeiros 15 minutos do duelo, foi a equipa visitante a ter maior posse de bola. No entanto, o SC Braga demonstrou ter os processos defensivos bem estudados e conseguiu obter sucesso no bloqueio de remates.

A primeira oportunidade flagrante do encontro esteve nos pés de Yaremchuck, ao minuto 11, mas o remate foi travado por Matheus, junto ao poste esquerdo. Em resposta, Ricardo Horta assistiu para Iuri Medeiros que, isolado, não conseguiu finalizar nas melhores condições.

Os encarnados reagiram de imediato, por meio de Vertonghen, que aproveitou a confusão no interior da área bracarense e finalizou a contar. No entanto, o golo foi anulado por domínio com o braço do defesa belga, antes de atirar o esférico para o fundo das redes.

À passagem do minuto 28, Ricardo Horta sofreu uma falta de Vertonghen, que se traduziu em livre a favor da turma arsenalista. Iuri Medeiros, de pé esquerdo, fez estragos na muralha benfiquista e inaugurou o marcador com um golo junto ao poste direito. Após uma entrada perigosa sobre Weigl, Al Musrati viu, ao minuto 31, um amarelo e ficou sem possibilidade de disputar o próximo jogo para a Liga Bwin, em dérbi minhoto frente ao FC Vizela.

Após o golo, o SC Braga cresceu no jogo e deteve as melhores oportunidades. Do lado vizinho, as águias procuravam responder através de passos longos. No limite dos dois minutos de tempo extra, ainda esteve à vista o empate na Pedreira, mas o remate foi desviado para canto. Desta forma, foram os Gverreiros do Minho a sorrir no final da primeira parte, com uma vantagem por 1-0.

Nos primeiros minutos do segundo tempo, assistiu-se a um SC Braga a querer assumir o controlo no jogo, à procura de dilatar a vantagem e a colocar pressão no meio-campo ofensivo. À passagem do primeiro quarto de hora do segundo tempo, a turma minhota conseguiu traduzir o esforço em golo. Através de uma combinação entre os irmãos Horta, André foi capaz de contornar o guardião benfiquista e ampliou a vantagem no Minho.

Na tentativa de inverter o rumo do encontro, os encarnados esgotaram as substituições, com uma mudança em todos os setores. O golo acabou mesmo por surgir ao minuto 74, através de um penálti. André Horta tocou com o braço no esférico e, na marca dos 11 metros, Darwin Núñez fez balancear a baliza de Matheus. A formação lisboeta não se rendeu perante a desvantagem e, dois minutos depois, Darwin Núñez cabeçou para João Mário, que apontou o golo da igualdade.

De imediato, Al Musrati cruzou para Vitinha, que carimbou a reviravolta no marcador ao apontar o 3-2. A equipa de Nélson Veríssimo ainda ameaçou novamente o empate, mas Vitinha afastou o esférico para longe da área. Depois de ver escapar a vantagem de dois golos em apenas cinco minutos, o SC Braga manteve-se firme e não permitiu que o Benfica desequilibrasse a defensiva arsenalista. Em tempo de compensação, Carlos Carvalhal ainda projetou Berna no jogo, que se estreou na Liga Bwin.

Com esta vitória diante dos encarnados, o SC Braga permanece na quarta posição, com 52 pontos somados. O próximo embate dos Gverreiros do Minho está agendado para a próxima quinta-feira, dia 7 de abril, frente ao Rangers FC. O jogo é relativo à primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa.

Recorde ainda: SC Braga triunfa na casa do Portimonense SC