A série Twenty-Five, Twenty-One, produzida por Jung Ji-hyun, estreou a 12 de fevereiro. Repleta de surpresas e superações, a produção promete, desde o primeiro episódio, conquistar os corações do público.

A história apresenta Na Hee-Do, uma jovem atleta de esgrima, que vê os seus sonhos quase irem por água abaixo aquando do resgate do FMI ao seu país. Sem o clube de esgrima da sua escola, Na Hee-Do acaba por ser transferida para a escola daquela que era a sua atleta favorita, Ko Yu-Rim. Com a chegada à nova escola, Hee-Do depara-se com diversas adversidades e vê-se encorajada a conseguir superá-las com a ajuda da sua nova treinadora. A narração debruça-se também sob a história de Baek Yi-Jin, um jovem de 22 anos que deixou de prosseguir os seus estudos para poder ajudar a família em bancarrota. Além destes, o foco passa também pela história de Ko Yu-rim, atleta medalhada com ouro e inspiração de Na Hee-Do, Moon Ji-Woong, colega de turma de Na Hee-Do, e Ji Seung-Wan, delegado de turma e colega dos restantes.

O enredo divide-se em duas partes, havendo constantes viagens entre o ano de 2021 e 1998. Em 2021, Kim Min-Chae, filha de Na Hee-Do, lê o diário da mãe durante a sua estadia na casa da avó após revelar à progenitora que não quer praticar mais ballet.

Desta forma, é possível afirmar que todo o drama gira à volta da ideia de nunca se desistir dos sonhos, por mais difícil que o caminho até eles possa ser. Ao longo dos episódios, o incentivo de Na Hee-Do vem da parte da sua treinadora, que tenta despertá-la para as diversas injustiças, dizendo-lhe para procurar sempre um plano B e para nunca se conformar com nada.

Além do mais, a série assume-se um imenso destaque este ano pela natureza única de viagem no tempo. Podendo parecer um tanto confuso àqueles que não tiveram a oportunidade de visualizar a série por completo, a demarcação dos diferentes tempos é extremamente bem feita, sendo clara e tornando reconfortante ver as reações da jovem Min-Chae às aventuras da mãe e a forma como a própria se recorda de cada episódio.

Em termos de elenco, é louvável a escolha de Kim Tae-Ri para desempenhar o papel de Na Hee-Do após o período de pausa que se prolongou por três anos. A atriz demonstrou, mais uma vez que nunca é tarde para experimentar – mais uma vez – algo novo e fora da caixa. Afirmo ainda que a escolha da banda sonora deste drama é de uma qualidade magnifica, com maior destaque para a faixa interpretada pelos cinco atores que desempenham as personagens principais: “With”.

Para concluir atesto que não há qualquer falha a apontar a Twenty-Five, Twenty-One que, sem dúvidas, eleva a fasquia para qualquer outra que se siga. Ressaltando que a sua natureza inspiradora detém um papel extremamente importante para o envolvimento dos espectadores.