Foram mais de três anos à espera do que viria a ser o mais aguardado álbum de Anitta. O álbum, Versions of Me, que conta com diversas colaborações de peso como Cardi B, Khalid, Saweetie e Ty Dolla $ign, chegou finalmente aos ouvidos do público neste mês de abril.

Versions of Me passou por diversos processos de alteração e edição até chegar ao resultado final que conhecemos. A ideia inicial de Anitta era lançar o álbum em 2020 com o nome Girl From Rio, marcando assim uma nova etapa na sua carreira. Porém com a pandemia, a cantora e a sua produtora, Warner Records, decidiram que o melhor seria adiar este álbum marcante na carreira da cantora.

camoesradio.com

O projeto nasce de uma vontade insaciável da cantora brasileira de mostrar ao mundo a cultura do seu país. Apesar de se tratar de um álbum onde o inglês e o espanhol predominam, tendo apenas uma faixa em português, Anitta acredita que só se envolvendo na cultura dos seus ouvintes é que consegue vingar. Os ritmos e musicalidades revelam uma brilhante cantora de sucesso internacional que, contudo, não esquece as suas raízes.

“Envolver” abre o álbum. O single lançado em novembro de 2021 começou a ganhar popularidade apenas este ano. A música mantinha relativamente bons números de streams até fevereiro, e aí aumentou exponencialmente. A música tornou-se completamente viral em março e é inegável que o sucesso se deve ao TikTok. Rapidamente, o reggaetón cantado em espanhol, alcança o Top 10 Global do Spotify e, a 25 de março, consegue mesmo o impressionante primeiro lugar. Com este feito inédito, Anitta torna-se a primeira e única cantora latina a solo a alcançar a primeira posição do Spotify Global, conseguindo mais de 6 milhões de reproduções só nesse dia.

Segue-se “Gata”, em parceria com o porto-riquenho Chencho Corleone. A música apresenta-se como outro reggaetón em espanhol. Porém, um reggaetón mais tradicional, bebendo influências de Daddy Yankee. A letra passa uma mensagem de empoderamento feminino, enquanto o final é marcado pela presença de uma frenética batida de funk.

Por sua vez, “Gimme Your Number”, em parceria com Ty Dolla $ign, é a quarta faixa. A música contém umsample do clássico mexicano “La Bamba”, mas que aparece, desta vez, com uma roupagem totalmente diferente. Como resultado temos, assim, uma junção entre um R&B e um ritmo urbano latino. A união das vozes é tão agradável quanto a música.

Os singles escolhidos para divulgar o projeto foram minuciosamente pensados. “Boys Don’t Cry” é já um hitbastante conhecido do público. O single foi lançado em janeiro e tem sido um absoluto sucesso. A faixa apresenta fortes influências de pop-rock e electropop e pretende atingir homens que confundem interesse com romance.

Coesão é o que não falta num álbum que, antes de ser lançado, prometia o contrário. Contudo, é nas seguintes faixas que encontramos uma Anitta diva pop internacional. “Ur Baby” é, inegavelmente, um dos temas mais bem produzidos na carreira da cantora,  e isso não se deve apenas à participação de Khalid. O ambiente calmo e relaxante harmoniza impecavelmente com a letra romântica. Tudo nesta música parece funcionar em perfeita sincronia. O mesmo se sente na música homónima ao álbum, “Versions Of Me”.Aqui, a cantora afirma que consegue ser de diversas formas: “I’m in your mind and you’re caught up in my drama. Do you want all these versions of me?”.

“Girl From Rio” dispensa apresentações. O hit é uma das músicas mais queridas à cantora. Um claro divisor de águas na sua carreira. A faixa contém uma sample da famosa “Garota de Ipanema”, no entanto pretende mostrar o lado contrário do Rio. Anitta canta sobre como a cidade onde cresceu “corre nas suas veias”, enquanto exalta as mulheres cariocas. Anitta revela-se sempre com um orgulho tremendo das suas raízes humildes, provenientes dos subúrbios do Rio de Janeiro: “Yeah the streets have raised me, I’m favela.Baby, it’s my love affair, it’s my love affair, yeah”.

Em “Que Rabão” já não há “misturas”, ouvimos funk puro e duro. Anitta canta sobre uma batida elegante e, ao mesmo tempo, dançável. O rapper norte-americano YG, o funkeiro brasileiro MC Kevin o Chris e o já falecido Mr. Catra complementam a música. Apesar de não ter o mesmo impacto que “Vai Malandra” (2017) ou “Bola Rebola” (2019), o funk ajusta-se impecávelmente à sua proposta.

Noutro estilo de funk mais disfarçado, temos dois temas. “Faking Love” em parceria com Saweetie, fala sobre uma separação onde não há qualquer tipo de ressentimentos, já que o amor que “havia” era ilusório. “Me Gusta” é a mais antiga do álbum, datando de setembro de 2020. A colaboração com a rapper Cardi B e o Myke Towers é divida entre o inglês e o espanhol. Misturando assim, também, o funk com o pagode tipicamente baiano.

É evidente a evolução musical de Anitta desde o seu último projeto, Kisses (2019), para Versions Of Me. A cantora conseguiu uma excelente coesão e harmonia entre as faixas, fundindo, assim, o português, o inglês e o espanhol quase numa língua só. O projeto traz uma Anitta mais madura e de notória evolução vocal. O intuito de mostrar ao público que consegue fazer qualquer tipo de ritmo e sair-se bem é comprovado com este álbum. Este é o primeiro grande projeto de entrada no mercado internacional e é inegável que, continuando assim, Anitta irá conquistar tudo aquilo que ambiciona, sem nunca se esquecer de onde veio.