Este sábado, dia 7 de maio, os finalistas da Universidade do Minho encheram o Estádio 1.º de Maio, em Braga, para receberem as insígnias. A cerimónia, que também decorreu em Guimarães, nos Jardins da Lola, marca o terminar de mais uma fase na vida dos estudantes.

Em Braga, o momento iniciou-se por volta das 15h30, quase uma hora depois do previsto, com o Coro Académico da UMinho (CAUM), que cantou o hino da academia minhota. Seguiu-se o discurso do presidente da associação académica, Duarte Lopes, que destacou os “novos desafios” daquela que é a geração “mais esperada de sempre”.

O reitor Rui Vieira de Castro também teve a oportunidade de deixar “uma palavra de felicitação” aos finalistas, sem esquecer o trabalho desenvolvido pelos docentes. Considerando que o momento “marca a transição para uma nova etapa”, Rui Vieira de Castro referiu a importância do ensino superior “para que se possa ultrapassar os grandes desafios do mercado de trabalho”.

Após os discursos, foi a vez dos estudantes dos vários cursos subirem ao palco para a tão aguardada imposição das insígnias. Seguindo uma ordem alfabética, os alunos de Administração Pública foram os primeiros e os de Sociologia os últimos. Além da troca de tricórnios, os estudantes cantaram o hino de cada curso aos presentes. O calor e as temperaturas elevadas, sentidas durante a tarde, não esmoreceram o entusiasmo e a emoção dos finalistas.

Ana Carolina Rocha, finalista da Licenciatura em Engenharia Biomédica, retratou a cerimónia como o celebrar de um objetivo concluído, que é partilhado com os amigos e colegas de curso. “Demonstra o espírito de amizade entre todos e a cooperação que tivemos ao longo dos anos”, afirmou.

Já Aline Heergeist, finalista da Licenciatura em Relações Internacionais, considera que “fazia falta” a realização da cerimónia no seu formato habitual. No entanto, apontou algumas falhas na organização do evento. “A acessibilidade e a inclusão podiam ser melhores. Há pessoas com mobilidade reduzida e em cadeira de rodas que têm de ficar ao sol”, constatou.

A cerimónia estava inicialmente prevista durar cerca de duas horas, mas a sua conclusão apenas aconteceu perto das 20h00. As festividades do Enterro da Gata prolongam-se até à próxima sexta-feira, dia 13 de maio.