"O Último Banho" venceu o prémio de Melhor Filme.

A 11ª edição dos Prémios Sophia abraçou o tema da animação e explorou-o ao longo de toda a cerimónia. A gala desenrolou-se no Casino do Estoril, durante este sábado, e foi apresentada por Pedro Miguel Ribeiro e Margarida Vila Nova, “a vivo e a cores”.

O Último Banho (2020) e Bem Bom (2020) eram as obras cinematográficas com mais nomeações. O primeiro filme apresentava 13 animações e o segundo 12. O prémio de Melhor Filme foi entregue a O Último Banho (2020). O filme de David Bonneville recebeu ainda mais os galardões de Melhor Argumento Original e de Melhor Direção Artística. Já Bem Bom arrecadou os prémios de Melhor Maquilhagem e Cabelo e de Melhor Guarda Roupa.

Glória (2021) venceu o prémio de Melhor Série/Telefilme. A Metamorfose dos Pássaros (2020) destacou-se com sendo o Melhor Documentário em Longa-metragem e recebeu ainda os prémios de Melhor Realização, Melhor Montagem e de Melhor Som.

A gala apresentou a evolução da animação em Portugal, começando pelos primeiros desenhos animados e passando para as pequenas e grandes animações. Entre as diferentes entregas de prémios, a edição deste ano apresentou trailers das produções animadas que vão ser lançadas no próximo ano. O Natal de Bruno Aleixo, Os Demónios do Meu Avô, Nayola, Gebeka são algumas das animações que vão marcar o cinema português em 2023. A 11ª edição dos Prémios Sophia não deixou de destacar o impacto da animação no cinema, mostrando que este tipo de obras cinematográficas é para “miúdos e graúdos”.

Miguel Borges, protagonista da obra Terra Nova (2020), venceu o prémio de Melhor Ator Principal e Ana Moreira, protagonista em Sombra (2020), arrecadou o galardão de Melhor Atriz Principal. João Nunes Monteiro e Ana Cristina Oliveira foram premiados enquanto atores secundários.

Abi Feijó, cineasta e produtor cinematográfico português de animação, foi homenageado com o prémio Sophia de Carreira. De acordo com Paulo Cambraia, responsável por entregar o galardão, Abi Feijó produziu “curtas-metragens de animação, das quais as mais importantes refletem e revelam a sensibilidade do produtor em relação à condição humana”.

A cerimónia foi animada pela banda Os Azeitona, com as músicas “Nos Desenhos Animados (Nunca Acaba Mal)” e “Cinegirassol“, pelos Gaiteiros de Lisboa, com “Caretos“, e por Artur Guimarães, com um arranjo de diferentes músicas que dão vida aos conhecidos desenhos animados responsáveis por embalar os portugueses, entre outros.

Confira a lista de vencedores: