No terceiro e último dia de festival, apenas artistas nacionais pisaram o palco vimaranense.

Terminou no sábado a quarta edição do L’Agosto, no jardim do Museu de Alberto Sampaio, em Guimarães. Em noite de bandas de culto dos anos 90, o festival do crustáceo contou com público de todas as idades.

Tal como na noite anterior, o L’Agosto não se deixou ofuscar pelas Festas Gualterianas e viu o recinto lotado em pouco tempo. Desta vez, com um público ligeiramente diferente, predominaram as roupas pretas e os braços no ar com o símbolo universal do rock apontado em direção ao palco.

A abrir aquele que foi o último dia de festival, os Bizarra Locomotiva entraram em cena com as baterias carregadas. Miguel Fonseca, na guitarra, e Alpha, no teclado, realçaram o ambiente assombroso da banda com o guarda-roupa plástico e industrial já característico do conjunto. O vocalista, Rui Sidónio, que passou quase tanto tempo no meio do público como em cima do palco, ainda carregou uma criança nos ombros enquanto cantava e andava por entre a multidão. O guitarrista pediu várias vezes mais energia ao público, que conseguiu responder, com os constantes abanos de cabeça e braços no ar.

Depois de algum headbanging ao som de temas já muito familiares como “Na Febre de Ícaro”, “Mortuário” e “O Anjo Exilado”, a banda lisboeta despediu-se do L’Agosto e deu a vez a ZEN, que de calmos só têm o nome. Em constante interação com o público desde o início do concerto, Gon perguntou a quem estava do outro lado das grades se já sentiam “o rabo a abanar e o funk na barriga”. A verdade é que era impossível não sentir. A energia eletrizante e contagiante do icónico vocalista e do resto da banda não deixaram ninguém parado.

O grupo portuense alternou entre os clássicos já conhecidos por todos e trocar profanidades e insultos, em tom de brincadeira com a plateia. Não se confunda, no entanto, o ambiente descontraído com falta de pujança de qualquer um dos lados. Por múltiplas ocasiões, Gon saltou as grades para o meio da multidão e surfou nos braços do público, provando que era mentira quando dizia que estava “a ficar velho”.

Além da muito aguardada “U.N.L.O.”, ZEN tocaram ainda um cover de “Helter Skelter”, dos The Beatles, “a pedido de muitas famílias”. Pouco antes do final do espetáculo, viu-se fogo de artifício das Festas da Cidade, Gualterianas, a subir ao céu por trás da lagosta gigante, como que a celebrar o fantástico concerto a que o crustáceo tinha acabado de assistir.

A última performance desta edição do L’Agosto pertenceu aos Bons Rapazes. A dupla de locutores da Antena 3, Álvaro Costa e Miguel Quintão, fechou a noite e o festival com um DJ set que dedicou a D. Afonso Henriques. Após o encerramento oficial do L’Agosto, voltou a haver after party no Convívio Associação com Les Dirty Two.