Depois de anos de pandemia, a música voltou aos palcos presenciais com mais energia do que nunca. O ano de 2022 foi, portanto, um ano nostálgico e emocionante para os artistas que, com o reportório cheio de novos hits, proporcionaram produções incríveis. Em retrospetiva, os redatores de crítica selecionaram cinco músicas consideradas, a título individual, as melhores de 2022.

“Fim”, Fernando Daniel ft. Carolina Deslandes – É, sem dúvida, um dos melhores lançamentos deste ano no território da música portuguesa. A produção traz o melhor das cores dos dois cantores que harmonizam e se encaixam na perfeição. Já a lírica é carregada  de um peso emocional e ressoam em vários dos seus ouvintes. É uma música mais melancólica, adequada para dias mais reflexivos ou depressivos. Ambos os cantores conseguem trazer a mensagem da música perfeitamente. É, através da emoção que colocam na canção que fazem com que o ouvinte entre no espírito da música muito depressa. De uma forma quase espontânea cria um impacto tão forte, levando o ouvinte a ouvir a música vezes sem conta.  O refrão tem particular destaque com o instrumental acompanhado com as bonitas notas agudas dos dois cantores.

“In The Stars”, Benson Boone –  A tocar nos sentimentos mais crus do ser humano, o artista põe a nu a realidade da perda – a impossibilidade de criar memórias com alguém que partiu. Retrata perfeitamente o sentimento inconsciente de “não querer largar”, pois significaria um  “adeus” definitivo. Nos versos, desprender implica mais do que tirar uma peça, implica criar um novo puzzle sem ela.  Ao condensar as letras com o foro rítmico lento e sopros leves e pausados de piado, espelha a angústia e o desamparo sentido pelo artista. Uma verdadeira representação de dor e sofrimento tão primitivas e verdadeiras da existência humana. Esta composição compreende os sentimentos mais poderosos do ser humano  – a dor, o amor e a verdade – e, por isso, era imprescindível nesta lista de sons que marcaram todos aqueles que sofreram perdas ao longo da sua vida, e por sua vez, o ano de 2022.

“When You’re Gone”, Shawn Mendes – Lançada a 31 de março de 2022, “When You’re Gone” foi a única música lançada pelo artista este ano. Contudo, isso não a fez menos digna de ser considerada uma das melhores músicas de 2022. A letra versa sobre separação, contrastando com o ritmo otimista da canção, de forma harmoniosa. A magnitude da canção é atingida com os vocais de Mendes, que não desapontam. É através dela que o ouvinte evidencia os sentimentos do cantor por detrás da melodia aparentemente feliz. A dor de deixar alguém partir mesmo sabendo que é o mais sábio a se fazer torna a canção num hino para aqueles que querem gritar as suas emoções no fim de uma relação.

“Bad Habit”, Steve Lacy – “Bad Habit” é o segundo single do segundo álbum de Steve Lacy, Gemini Rights. Nesta faixa, Lacy retrata a culpa de não ter expressado o que sentia à pessoa ao qual se encontrava atraído. Mas não escapa a chance de sonhar o que podia ter sido. Apresenta impressionantes vocais do cantor e uma incrível composição. E, com uma produção que faz questão de acompanhar todo o sentimento que transparece na sua letra. Tornando-se, assim, não só o maior hit do cantor, mas também uma das melhores músicas do ano.

“O meu Money”, Lon3r Johny – A faixa começa com um riff de guitarra que se alonga por todo o cumprimento da música. Aquilo que mais se destaca é a união do som da bateria “orgânica” e da bateria “de computador”, com várias batidas em sucessão. No pré-refrão o instrumental é complementado com um som de apenas uma nota de guitarra que serve para adensar uma faixa que pretende ser simples mas com instrumentalização forte.

Artigo por: Filipa Correia, Lara Inês Freitas, Margarida da Silva Carvalho, , Miriam Ramirez e Francisco Gonçalves