Lançada em 2002, Coraline é a obra mais reconhecida do autor Neil Gaiman. O livro infantil (mas capaz de criar arrepios a qualquer leitor), acompanha uma menina na sua jornada no “Outro Mundo”.

GQ Brasil

Coraline vive numa casa com 14 portas. Todas elas abrem, exceto uma. Como a exploradora nata que é, a protagonista arranja uma forma de abrir a porta, encontrando a passagem bloqueada por uma parede de tijolos. Porém, um dia, quando reabre a porta, a parede foi substituída por um portal. Ao atravessá-lo, ela encontra uma casa exatamente igual à sua, só que diferente.

Os seus “outros pais” são também idênticos aos verdadeiros, com apenas uma peculiaridade. Tanto eles como todas as “outras” pessoas, têm olhos de botão. Apesar de demonstrarem o seu amor por Coraline,  a personagem não lhes permite entrar na sua vida, muito menos coser-lhe os olhos com botões. Assim, entra numa busca para reencontrar os seus verdadeiros pais.

O conflito entre a protagonista e a “outra mãe” torna o enredo muito intrigante, captando quase instantaneamente a atenção do leitor. A relação delas transparece um amor unilateral e obsessivo, contra o qual a menina de 11 anos luta. Isso leva a uma revelação progressiva das reais intenções da “outra mãe”, fazendo-nos torcer cada vez mais por Coraline.

Mapa do mundo de Coraline

Nesse mundo existem também almas perdidas, que tornam a história ainda mais sinistra e fascinante. São apenas crianças, presas entre a vida e a morte. Ao conhecê-las, Coraline torna sua missão salvá-las do limbo em que se encontram. O seu companheiro, o gato preto, é fundamental para o cumprimento do objetivo. As suas intervenções (que nunca sabemos quando vão acontecer) acrescentam sempre algo de fascinante, não só pelo que diz, mas como o diz.

Neil Gaiman faz uma ligação perfeita entre as pessoas reais e as suas versões do “outro mundo”. Não são apenas as mesmas pessoas com botões nos olhos. Ele pega num traço de personalidade da personagem original e leva-o a um extremo que se torna verdadeiramente horrorizante. Para melhorar, ele escreve tudo isto de uma forma tão descritiva que é incrivelmente fácil imaginar todo o cenário a acontecer na nossa cabeça.

Tendo apenas pouco mais de 100 páginas, Coraline é o livro perfeito para uma leitura rápida. É indicado para fãs de terror, mas também para quem se assusta facilmente, pois, sendo um livro infantil, o terror fantástico deste livro é exatamente isso, fantástico.

“Os contos de fadas são mais do que verdadeiros: não porque nos dizem que os dragões são reais, mas porque nos dizem que os dragões podem ser derrotados.”