Homem do Jogo

André Horta

O jogador lançado por Artur Jorge ao intervalo foi fulcral na reviravolta bracarense. Marcou dois golos de longa distância e teve ainda uma forte intervenção na criação do processo ofensivo do SC Braga, tendo acrescentado velocidade ao jogo e auxílio defensivo.

Em cima

Baturina

De forma a colmatar a lesão de Depú, o avançado croata teve a oportunidade de ser pelo segundo jogo seguido titular. Aproveitou a ocasião e marcou pelo segundo jogo consecutivo, conquistando ainda uma grande penalidade favorável aos gilistas. O ponta de lança gilista demonstrou-se forte no duelo físico e aéreo, vencendo lances tanto a nível ofensivo como defensivo.

Félix Correia

Apesar das dificuldades apresentadas pelo estado do campo do Estádio Municipal de Barcelos, o extremo português demonstrou-se ativo ao longo de toda a partida, comprometeu-se tanto nas recuperações defensivas assim como enriqueceu as transições ofensivas dos galos através das suas iniciativas individuais e pelo aparecimento no espaço vazio, provocando desequilíbrio na defensiva bracarense.

Em baixo

Niakaté

O central bracarense não estava a fazer um jogo negativo, comprovando-se forte no duelo, na antecipação e com ações ofensivas dentro da área adversária. Porém, após uma desatenção defensiva, influenciou negativamente a sua equipa com a grande penalidade cometida sobre Baturina, deixando a formação arsenalista reduzida a dez elementos desde os 55 minutos da partida.

Vinícius Dias

Apesar da influência do estado do tempo e do relvado, o guardião brasileiro foi protagonista pela negativa nos três golos da equipa bracarense, sendo incapaz de bloquear remates teoricamente acessíveis a curta e de longa distância.