Soberania conquistadora foi machadada final para a turma de Vila Verde

Neste sábado, dia 25 de novembro, realizou-se no Estádio D. Afonso Henriques, o embate entre o Vitória SC e o  Länk FC Vilaverdense. Esta partida contou para a Taça de Portugal, na qual os conquistadores seguem em frente nas eliminatórias, deixando para trás a turma de Sérgio Machado.

A formação da cidade-berço entrou melhor na partida, logo aos 12 minutos o primeiro sinal de perigo foi dado por João Mendes. A defensiva adversária perdeu a bola logo à entrada da sua área e a mesma foi ter com o médio português, que recebeu o esférico, e rematou para fácil encaixe do guardião.

Ao minuto 35, João Mendes voltou a aparecer em cena e cruzou com peso e medida para junto da pequena área, onde se encontrava André Silva, que cabeceou para uma enorme intervenção de Rogério, que desviou a bola para pontapé de canto. Na sequência do mesmo, foi aberto o marcador, com a bola a ir ter de novo para zona de perigo, e após uma pequena confusão, sobrou para o central Tomás Ribeiro, que só teve de encostar para o fundo das redes.

Ainda antes do intervalo, voltou a gritar-se golo no D. Afonso Henriques, um cruzamento vindo da direita do ataque vitoriano, por intermédio de João Mendes, resultou na cabeçada exemplar de André Silva, que fez o 2-0. Assim terminou a primeira parte deste encontro, com um Vitória SC por cima do jogo, e um Länk FC Vilaverdense que, esporadicamente, em contra-ataques, procurava fazer estragos, mas até então, sem sucesso.

Os comandados de Álvaro Pacheco, procuraram intensificar a tendência ofensiva vinda da primeira metade, e esse esforço foi prontamente recompensado. Logo ao minuto 48, um passe rasteiro vindo da esquerda, por parte de Ricardo Mangas, culminou na finalização com sucesso, por parte de Miguel Maga.

João Mendes, figura muito ativa no volume ofensivo dos conquistadores, procurou aumentar a vantagem da sua equipa, minutos depois, mas viu a bola a beijar o poste direito da baliza adversária. Depois desse momento, assistimos a cerca de 20 minutos de completo domínio por parte dos visitantes, que procuraram, por várias, diminuir a desvantagem até então consumada.

Ao minuto 72, o lateral da turma que viajou desde Vila Verde, Maviram, subiu no terreno e efetuou um cruzamento que levava veneno, a bola ressaltou num defesa vitoriano e quase traía o guarda-redes, embatendo caprichosamente na trave da baliza. Dois minutos depois, Charles, através de uma grande intervenção, voltou a travar as aspirações de golo do Länk FC Vilaverdense.

Aos 76 minutos, a insistência deu frutos, Gonçalo Teixeira recebeu a bola já perto da área adversária, e numa jogada de tremenda inspiração, trocou as voltas à defensiva adversária e num remate colocado marcou o que viria a ser o golo solitário da sua equipa. À passagem do minuto 81 Tiago Silva matou o resultado, após uma defesa de Rogério, a bola sobrou para o médio português, que só teve de empurrar a bola para a baliza deserta.

O resultado final de 4-1 ditou a eliminação do Länk FC Vilaverdense, e consequente passagem à próxima fase da Taça de Portugal, por parte do Vitória SC. O próximo encontro dos vimaranenses está marcado para o dia 2 de dezembro pelas 15:30h, frente ao SC Farense fora de portas, a contar para a Liga Portugal Betclic. Já os comandados de Sérgio Machado vão enfrentar em casa, o União Desportiva de Leiria no dia 1 de dezembro, pelas 15h30h, na 12ª jornada da Liga Portugal SABSEG.

No final da partida, Álvaro Pacheco destacou a mentalidade da equipa, realçando a importância desta vitória: “é sempre bom vencer, mas o mais importante, e aquilo que eu passo para eles, é a mentalidade de nós encararmos os desafios”. O treinador dos conquistadores reforçou ainda a ideia de comprometimento, como sendo algo sempre presente nos últimos encontros: “os resultados não sendo aquilo que nós pretendíamos, a equipa manteve-se focada, manteve-se abraçada àquilo que é o nosso processo e o nosso crescimento e isso hoje demonstrou-se isso mesmo”.

Já Sérgio Machado garante que os jogadores cumpriram com o que lhes foi pedido, mas compreende que os dois clubes estão em patamares diferentes: “os jogadores fizeram aquilo que lhes foi pedido, mas temos que ter noção que estamos a falar de realidades completamente diferentes”. O treinador dos minhotos fez ainda questão, de reforçar a ideia que o crescimento de rompante que tiveram nas últimas épocas, trouxe dificuldades à instituição: “somos a equipa com orçamento mais baixo da segunda liga, se calhar somos o clube com menos condições da segunda liga, o crescimento foi muito rápido e nós estamos a tentar fazer com que a gente reduza essa diferença”.