Os compositores já tinham percorrido Lisboa e atuaram desta feita em Braga.

Na última quinta-feira, dia 23 de novembro, Matthew Herbert & Julian Sartorius estrearam-se no gnration, em Braga. Num extremo, Julian Sartorius exibiu uma precisão impecável na bateria. No oposto, Matthew Herbert, virtuoso na eletrónica, realizou as suas artes mágicas, com manipulação de sons.

A sala onde a performance estava prestes a decorrer rapidamente se encheu. Dentro do público, encontravam-se pessoas de todas as idades para presenciar a genialidade de Herbert e Sartorius, dois dos nomes mais fascinantes da música de improvisação europeia. Os compositores apropriaram-se de sons e, em tempo real, converteram padrões rítmicos em paisagens sonoras deslumbrantes e numa tempestade de eletrónica e batidas.

A presença dos artistas em palco revelou-se admirável. Os mesmos não pararam de se mexer e dançar ao som das trilhas sonoras que iam criando juntos. Imersos na própria arte, levaram o público com eles, que não conseguia tirar os olhos do palco, atentos a cada movimento, enquanto aproveitavam o concerto. A mudança das cores nas luzes, as transições energéticas entre batidas e a locomoção dos músicos, mesmo sem utilizar a voz, serviu para contar uma história, demonstrando o nível de criatividade dos mesmos.

O ComUM teve a oportunidade de falar com alguns membros presentes na plateia, tal como Manuel Simões, que afirmou que já conhece estes artistas há vinte anos. Manuel declarou ainda que “a variedade rítmica é muito rica” e foi isso que o levou lá. Este encontro não ficou apenas por Braga. João Aveiro, também presente no público, não deixou que a distância fosse um entrave a esta experiência sonora. Passo a citar o que o mesmo partilhou connosco: “Sou de Lisboa e ontem não consegui apanhar o Matthew na Culturgest, porém, quando soube que ele vinha a Braga foi uma surpresa muito agradável. As minhas expectativas foram encontradas ou até mesmo superadas”. E assim se concluiu mais uma noite cheia de diversão e entretenimento nos palcos no gnration.