Com menos um elemento, o Vitória SC esteve na frente do marcador até aos 90 minutos.

Na noite chuvosa de domingo, Vitória SC e SL Benfica mediram forças no castelo. O encontro foi um verdadeiro espetáculo de futebol e proporcionou momentos surpreendentes aos adeptos, terminado com uma divisão de pontos entre as equipas.

As equipas alinharam com novos rostos no onze inicial. Charles foi novidade na baliza do Vitória ao substituir o capitão Bruno Varela. Rafa, João Mário e Di María constituíram a frente de ataque do Benfica, que abdicou de Artur Cabral, para um ataque mais móvel.

Apesar das condições climatéricas os minhotos não perderam a essência veloz dos contra-ataques e lançaram várias ameaças à baliza de Trubin, logo na primeira parte. No meio-campo contrário, os encarnados insistiam nas bolas paradas, e só não chegaram à vantagem porque Charles resgatou a bola do ângulo, na sequência de um livre de Kökçü.

Perto da meia hora de jogo, foi assinalado penalti a favor do Vitória, após uma entrada brusca do “número 10” turco (Kökçü). Tiago Silva não deu tréguas à antiga equipa e inaugurou o marcador, colocando o Vitória SC na frente.

Cerca de 5 minutos depois, foi a vez do Benfica abrir o livro, Di Maria assistiu e Rafa fez o primeiro golo das águias (40’), num lance protestado pelos vitorianos, mas validado pelo VAR. Tiago Silva teve tempo de assustar a equipa de Roger Schmidt, ainda antes descanso, na tentativa de um “chapéu” bem longe da grande área. Contudo, a bola passou próxima do poste e saiu pela linha final.

Após o intervalo, o Benfica procurou soluções no banco e deram entrada Florentino e Artur Cabral. Este último, que protestou grande penalidade, no primeiro minuto do segundo tempo, após cair sobre a área. Mas o juiz nada assinalou.

Aos 55 minutos festejou-se golo em Guimarães, no entanto Jota Silva viu o seu golo anulado por posição irregular. Mais tarde, André Silva acabou por suprir os desejos vimaranenses e com classe colocou o Vitória na frente novamente (61’).

A partir do minuto 65, os conquistadores passaram a contar com menos um elemento. Já que uma entrada dura de Borevkovic, liderou à própria expulsão. Álvaro Pacheco não teve alternativa, senão lançar jogadores de teor defensivo como Manu Silva e Zé Carlos para substituir André Silva e Nuno Santos. Para fornecer experiência ao jovem plantel deu entrada Nelsón Oliveira, e saiu Jota.

No que restou do encontro, as estrelas estiveram entre os postes. Charles e Trubin moldaram-se como verdadeiros elásticos para defender as respetivas balizas. Todavia, o esforço minhoto não foi suficiente, e viu o Benfica a alcançar novamente o empate, por intermédio de Artur Cabral em cima do minuto 90’.

No encontro que deixou ambos os conjuntos com o coração nas mãos a dada altura. O guarda-redes dos encarnados foi destacado e considerado o melhor jogador em campo. Em declarações ao Comum, o treinador Álvaro Pacheco considerou que o Vitória “perdeu dois pontos” e acrescentou que não está preocupado em assegurar lugares cimeiros, mas focado “nos treinos, no próximo jogo” e em arrecadar os 3 pontos a cada etapa.

Com esta vitória, os vitorianos permanecem no quinto lugar da Liga Portugal Betclic, mas com os mesmos pontos do SC Braga. No próximo sábado, os conquistadores deslocam-se até ao Algarve, para enfrentar o Portimonense SC, às 17:00h.